“Vivências Apocalípticas” é um projeto permanente da Cia. Apocalíptica de teatro de São José do Rio Preto/SP, que teve sua primeira edição no ano de 2016 e que neste ano se propõe a uma reformulação significativa para que assim possa obter resultados mais tangíveis.



De onde veio?

A Fundação da companhia data de 2013 e em seu terceiro ano de atividades esta se pôs a refletir o seu papel dentro da cena artística local e como poderia contribuir com a “alfabetização cultural” da população rio-pretense. Após esta reflexão surgiram diversos projetos de arte educação, formação cultural, difusão artística, entre outros... E foi nessa leva que criamos as “vivências apocalípticas” voltadas principalmente para a formação de jovens artistas através de trocas cênicas com os integrantes, por meio de workshops temáticos.

Assim foram as duas primeiras edições, já a terceira e a quarta trouxemos parceiros da companhia para ministrarem oficinas e minicursos de suas especialidades, abertos para artistas iniciantes e profissionais. Em suma este é o histórico do projeto que por vezes foi realizado com investimento público (através de editais de fomento: Nelson Seixas e ProAc) e outras com investimento da própria companhia, mas sempre realizado gratuitamente e em bairros periféricos da cidade, se conectando com toda a filosofia de trabalho da Cia. Apocalíptica.



Para onde vai?

Para 2020 reestruturaremos o projeto a fim de que ele se torne uma incubadora para novos grupos, para tal iremos realizar: 10 minicursos temáticos com integrantes da companhia e parceiros locais, 05 workshops com profissionais de outras localidades e ao final desse processo criaremos juntamente com os participantes/alunos um espetáculo de contação de histórias digital para que estes possam sair dessa imersão já com um novo grupo formado, tendo inclusive um espetáculo pronto para trabalharem.

O espetáculo a ser criado será uma releitura da obra “O Museu da Emília” de Monteiro Lobato, rememorando este importante autor brasileiro que a pouco completou 70 anos de morte, e todas as atividades serão voltadas para a criação e posterior manutenção desta obra, dando assim o suporte necessário para a criação desta nova companhia.

Além do suporte teórico a Cia. Apocalíptica disponibilizará para a criação dessa obra todo o seu aparato técnico e logístico (sede, reboque para transporte de cenário, equipamentos completos de som e luz, entre outros) criando algo ainda inédito na cidade: o apadrinhamento de uma nova companhia por outra mais antiga.