Festival

O FestFIM é um festival de artes integradas, não-competitivo e totalmente online, sendo uma realização da Cia. Apocalíptica e tendo como propósito o fomento da produção artística do interior em tempos de pandemia.

Já na sua primeira edição (agosto/2020), o evento foi o maior festival online de artes integradas, até então, do estado de São Paulo, somando 85 horas de programação, divididas em 46 atividades, entre Formativas, Lives, Gravações e Estreias, abrangendo diversos segmentos artísticos como: Teatro, Dança, Música, Cinema, Performance, Contação de Histórias, Literatura, Pintura, Videoclipe, Bordado e Graffiti, contando com a participação de mais de 100 profissionais entre produção e artistas.

Para a transmissão dessas obras, a Cia. Apocalíptica utilizará sua própria plataforma digital dentro de seu site, além de suas redes sociais (YouTube, Facebook, Instagram) a fim de atingir o maior público possível. Uma vez terminado o festival, todo o conteúdo continuará disponível por tempo indeterminado. Todas as atividades ocorrerão, obrigatoriamente, antes do fim do mundo.

Regulamento

PDF - 12.9mb

Programação

A 2ª edição do Festival acontecerá entre 02 e 07 de Março de 2021 e sua programação será estendida para 100 horas de atividades, promovendo uma verdadeira maratona cultural online. Nessa edição, poderão se inscrever para apresentações e atividades formativas, artistas e coletivos do interior do Estado de São Paulo de qualquer segmento cultural e as atividades estarão divididas em:

Formativas

Serão ao menos 55 horas de atividades entre workshops, oficinas, minicursos, debates, leituras dramáticas, bate papos e afins realizados em formato de “reunião online” e “lives”, sendo posteriormente disponibilizados nas plataformas do festival.

Gravações

Serão 4 vídeos de espetáculos na integra estreados em data anterior ao início do festival.

Lives

Serão selecionadas 8 apresentações ao vivo de espetáculos/shows concebidos em data anterior ao início do festival.

Estreias

6 obras inéditas, com a temática “Arte no Fim do Mundo”, que estrearão no festival e posteriormente comporão os repertórios das companhias.